12 abril 2010

Kuuki Ningyou












Eu demorei mais tempo pensando em como começar a falar sobre o filme do que falar sobre o filme em si, já que enquanto eu assistia eu já foi bolando mais ou menos eu poderia falar sobre e como explicar o quanto o filme é bonito.

E uma maneira que eu achei de explicar como é o filme em pouquíssimas palavras é: Chobits do nosso tempo.

Tudo gira em torno da Nozomi que é uma boneca inflável (as clássicas Candy Girls japonesas) que derepente um dia ganha vida e percebe que tem um coração. A partir daí ela começa a explorar as ruas e as pessoas que passam por ela. É engraçado ver as primeiras reações dela as pessoas e as descobertas de certas palavras e como agir em certas situações que para certas pessoas parecem tão corriqueiras mas que para alguém que nunca vivenciou elas é algo totalmente especial.

Conforme ela vai explorando as ruas, ela acaba caindo em uma locadora e começa a trabalhar lá ao mesmo tempo que ainda precisa fingir para o seu dono que é apenas uma boneca. É engraçado ver que ela se preocupa em ser o mais humana possível quando ela está fora de casa, até se preocupando com maquiagens e roupas e quando ela volta para casa antes do dono ela se porta como apenas um objeto para satisfazer os desejos das pessoas.

Depois da primeira metade do filme é que as coisas ficam mais interessantes e ela começa realmente a ficar cada vez mais humana, só que por ela ter quase nenhuma experiência de vida, ela acaba acreditando em tudo o que ela houve, inclusive quando as pessoas dizem que elas são tão vazias por dentro quanto ela e isso acaba gerando uma das cenas mais tristes do filme todo.

Eu poderia continuar a falar do filme mas eu tenho certeza de que daria uns spoilers mais pesados e que acabariam com todo o prazer de ver o filme. E por mais que o tema do filme seja sobre bonecas infláveis, a bem pouca nudez e você acaba até vendo as poucas cenas de sexo como algo quase estranho já que você não consegue esquecer que a Nozomi na verdade seria um pedaço de plástico e não uma humana.

Assistam sem medo, fazia tempo que eu não via um filme Japonês tão interessante e que fizesse por pelo menos alguns minutos pensar sobre toda a situação que é explorada no filme e dos personagens.

Um comentário:

Panina Manina disse...

Esse filme é uma droga.
Tenho certeza de que o diretor só o fez para poder filmar a atriz nua.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails